As Primeiras Impressões Sobre o Sistema de Conversão Neptune Art Lens: Maxime Chanet

2017-06-09

Maxime Chanet é um fotógrafo francês que começou a fotografar quando tinha 14 anos. O seu estilo é cru e íntimo. O seu estilo de trabalho é documental, mas também faz retratos em estúdio. Já testou a Petzval e a Lomo'Instant Wide, mas hoje descobrimos a sua nova sessão fotográfica íntima e minimalista que fez com o Sistema de Conversão Neptune Art Lens.

Nome: Maxime Chanet
Localização: Paris
Profissão: Fotógrafo / Artista
Website/Social Media links: Maximechanet.com / Maxime-chanet.tumblr.com / FB : Maxime Chanet photographe
Outros interesses para além da fotografia: Música (composição e cantor) e produção cinematográfica

Olá Maxime! Fala-nos sobre o teu percurso na fotografia

Bem, eu diria que é muito comum. Tinha 14 anos quando comecei a tirar fotos aos meus amigos que eram principalmente skaters e rockers. As cenas de Skate, Punk e Rock têm uma influência considerável no meu trabalho. Quando eu tinha 19 anos, mudei-me (para Paris) para estudar. Comecei a seguir o trabalho de vários fotógrafos de moda e retrato. Primeiramente tirava retratos, mas agora tento concentrar-me na minha exposição e em projectos pessoais.

Como designas o teu estilo de fotografia?

Eu diria cru e íntimo ... É bastante difícil de explicar porque é uma mistura entre o estilo documental e fotos de estúdio. Eu gosto da ideia de estilo documental e também de controlar as imagens.

Qual foi a tua primeira impressão ao veres e segurares o Sistema de Conversão Neptune Art Lenses?

Eu calculava que ele tinha um óptimo estilo. Adorei o design das objectivas.

Como é que o Sistema de Conversão Neptune Art Lens System se encaixa no teu estilo?

É um pouco lento para mim. Eu preciso ser muito rápido quando estou a fotografar. Caso contrário, gostei muito das fotografias que tirei com os 50mm e os 35mm, o resultado é excelente.

Podes partilhar qual é a tua melhor fotografia e qual a história que está por detrás dela?

Eu realmente gosto do retrato que fiz a Pauline. Ela não gosta de ser fotografada e foi muito importante para mim conseguir fotografá-la. Também gosto muito dos retratos da Fanny, porque ela também é uma fotógrafa e é uma grande artista. Foi muito fácil explicar as coisas e experimentar. E o lugar é muito bonito e a luz foi excelente.


Escrito por mpflawer on 2017-06-09 #noticias #pessoas

Artigos ainda mais interessantes